Outras Notícias

Afinal, o que é FLEBOLOGIA ESTÉTICA ?

REVISTA DOLCE- Ano11- N° 82
FLEBOLOGIA ESTÉTICA: o que é isto?

Revista Vitti - Agosto de 2009
Espuma seca varizes

Revista CRIATIVA - Agosto 2007
VARIZES NO MAPA

REVISTA I - IGUATEMI - NÚMERO 22
Sem rasuras nas pernocas

REVISTA PENSE LEVE - Novembro de 2008
Pernas Bonitas

REVISTA DA GESTANTE - Ano 1- N° 5
VEIAS PREGUIÇOSAS

REVISTA SAÚDE - Fevereiro de 2009
Secagem de vasos.

REVISTA CORPO A CORPO - Ano XXIII N° 253
Pernas de fora

REVISTA MANEQUIM - Março 2007
Tratar varizes está mais fácil

REVISTA VIVA SAÚDE
Da Capital para o Vale

REVISTA VITTI 1 - Agosto 2009

Notícias

PREPARE SUAS PERNAS PARA O VERÂO

IstoÉ Gente - 27/12/2004

massagem-nas-pernas.jpg

A proximidade do verão leva as pessoas a pensar em moda leve e sensual, que obrigatoriamente expõe um corpo saudável e bronzeado. É neste período que a maioria das mulheres lembra de olhar para as próprias pernas e, diante do espelho, se questiona se tem ou não varizes. Os portadores de varizes freqüentemente apresentam sintomatologia evidente, como peso e/ou cansaço nas pernas, acompanhado ou não por edema vespertino (inchaço). O quadro de insuficiência venosa crônica é composto por uma série de sinais e sintomas relatados pelo paciente e constatados na consulta. Uma veia visível não significa ser varicosa e a presença de teleangectasias (vasinhos) não significa obrigatoriamente doença.

Pacientes com antecedentes familiares de varizes têm maior predisposição a desenvolvê-las, motivo pelo qual devem procurar orientação para preveni-las. A orientação é fazer com que sejam evitados os fatores que prejudicam a drenagem do sangue pelas veias, que é feita no sentido das pernas para o coração. Com isto, sobrepeso e sedentarismo devem ser combatidos.
A estrutura vascular de cada indivíduo está teoricamente apta a suportar uma sobrecarga determinada pelo seu peso ideal, sentindo os sintomas de descompensação quando este é superado. E a atividade física regrada e de baixo e médio impacto são um incremento na drenagem venosa favorecido pelos músculos tonificados.

Nas mulheres, os hormônios femininos já naturalmente as incluem num grupo de maior incidência de varizes. O uso de contraceptivos orais ou injetáveis aumenta o desenvolvimento em pacientes predispostas, e alternativas contraceptivas devem ser dadas para evitar este efeito indesejável. Ainda em relação às mulheres, a gestação constitui uma situação peculiar, em que, além do aumento dos hormônios circulantes, temos o aumento natural do peso e a compressão das veias pelo útero gravídico. Portanto, um programa especial de educação postural e exercícios físicos deve ser desenvolvido.

Várias dúvidas povoam a cabeça das mulheres, relacionadas a mitos como subir e descer escadas, usar saltos altos, fazer depilação e a presença questionável de “varizes internas”. As varizes constituem uma doença de caráter evolutivo, que, se não tratadas, acarretam situações indesejáveis como o escurecimento da pele (dermite ocre), hemorragias, flebites e tromboses superficiais. O importante é o paciente saber qual o grau de insuficiência venosa que apresenta e que tratamentos minimamente invasivos já estão ao alcance de todos. Hoje preconiza-se que as varizes sejam tratadas em consultório, independentemente do seu grau de desenvolvimento, dispensando anestesias e internações. Recentemente introduzida no Brasil, a ecoesclerose priva os pacientes do trauma imposto pela cirurgia hospitalar convencional, dispensando inclusive o repouso.